Município lança campanha do Laço Branco pelo fim da violência contra as mulheres Município lança campanha do Laço Branco pelo fim da violência contra as mulheres 22 >
}


PORTAL
TRANSPARÊNCIA

PORTAL
SERVIDOR

PORTAL
SAÚDE
WhatsApp

Data | Hora de publicação: 03/12/2019 | 14:06:10

Município lança campanha do Laço Branco pelo fim da violência contra as mulheres

Prefeito Chico Brasileiro convocou os secretários e entidades a integrarem o movimento




Pela primeira vez na história, o Governo Municipal integra a campanha Laço Branco, que busca engajar os homens na luta pelo fim da violência contra as mulheres. O lançamento da ação aconteceu ontem (02) na Fundação Cultural e 
contou com as presenças do prefeito Chico Brasileiro, do vice-prefeito Nilton Bobato, além de secretárias e secretários, vereadores, policiais, representantes de entidades assistenciais, líderes religiosos, entre outras autoridades. 
A campanha do Laço Branco integra o calendário dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres, movimento que iniciou no dia 20 de novembro e segue até 10 de dezembro.

Durante o evento, o chefe do executivo também convocou os servidores a integrar a luta pelo fim da violência contra a mulher. “Infelizmente, a violência contra mulher ainda faz parte do cotidiano de muitas famílias e nós precisamos acabar com esta triste realidade. A campanha do Laço Branco é um dos atos que busca chamar a atenção de toda sociedade para este grave problema. De forma conjunta, podemos encontrar soluções para mudar esta cultura de violência”, disse Brasileiro.

“Desde 1991, esta campanha acontece em vários países, e pela primeira vez, temos o chefe do poder executivo de Foz do Iguaçu, puxando esta ação de conscientização, falando de homem para homem, e isto é muito importante e simbólico”, destacou a Kiara Heck, coordenadora do CRAM.

16 DIAS DE ATIVISMO
Dentro do cronograma, estão sendo realizadas palestras, capacitações, pedaladas, panfletagens, blitz, rodas de conversa, exposições e cine debate sobre o tema.  As ações são organizadas pelo CRAM (Centro de Referência em Atendimento à Mulher em Situação de Violência), ligado à Secretaria de Assistência Social, com apoio da Secretaria de Direitos Humanos e Relações com a Comunidade e diversas instituições da cidade. A campanha do Laço Branco está presente em mais de 50 países em todos os continentes e é apontada pela ONU como uma das maiores iniciativas mundiais direcionadas para a temática do envolvimento de homens com a violência contra a mulher.

A programação completa dos 16 Dias de Ativismo pelo fim da violência contra as mulheres está disponível AQUI

FIM DA VIOLÊNCIA
No dia 6 de dezembro de 1989, um rapaz de 25 anos (Marc Lepine) invadiu uma sala de aula da Escola Politécnica, na cidade de Montreal, Canadá. Ele ordenou que os homens se retirassem da sala e gritando para as estudantes que permaneceram: “vocês são todas feministas!”. Ele começou a atirar, assassinando a queima roupa, 14 mulheres. Em seguida, Lepine suicidou-se. O rapaz deixou uma carta, na qual afirmava que havia feito aquilo, porque não suportava a ideia de ver mulheres estudando engenharia, um curso tradicionalmente dirigido ao público masculino. 

O crime mobilizou a opinião pública de todo o país, gerando um amplo debate sobre as desigualdades entre homens e mulheres e a violência. Surgia assim a primeira campanha do Laço Branco, criada por homens, que elegeram como símbolo, o laço branco e adotaram como lema: “jamais cometer um ato violento contra as mulheres e não fechar os olhos frente a essa violência”. A partir desse acontecimento, o dia 25 de novembro foi proclamado pelo Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (UNIFEM), como o Dia Internacional de Erradicação da Violência Contra a Mulher. 

O dia 6 de dezembro foi escolhido para que a violência cometida contra aquelas estudantes canadenses não fosse esquecida e a Campanha do Laço Branco é uma maneira de homenagear aquelas mulheres brutalmente assassinadas apenas pelo fato de serem mulheres. 

FOTOS DO LANÇAMENTO DA CAMPANHA LAÇO BRANCO