Município organiza terceira mobilização de combate à dengue do ano Município organiza terceira mobilização de combate à dengue do ano 14 >
}


PORTAL
TRANSPARÊNCIA

PORTAL
SERVIDOR

PORTAL
SAÚDE
WhatsApp

Data | Hora de publicação: 11/02/2020 | 10:55:02

Município organiza terceira mobilização de combate à dengue do ano

Ações acontecerão neste sábado (15) das 8h às 14 horas e terão o apoio de secretários, diretores e servidores de todas as pastas




A Prefeitura de Foz do Iguaçu está mobilizada no combate à dengue, e organiza para este sábado (15) mais uma força tarefa para eliminar criadouros do mosquito Aedes aegypti e orientar a população. Nesta terça-feira (11) o prefeito Chico Brasileiro e o vice-prefeito e secretário de saúde Nilton Bobato convocaram secretários, diretores e servidores de todas as pastas a integrarem o mutirão. 

Com o apoio dos servidores, agentes comunitários de saúde e agentes de endemias do Centro de Controle de Zoonoses (CCCZ), a mobilização acontecerá em duas frentes: uma na região de Três Lagoas, onde os agentes farão visitas de casa em casa, para eliminar possíveis criadouros do mosquito e orientar a população, e, outra, em todas as demais regiões da cidade, com servidores distribuindo panfletos e informando as estratégias de combate ao mosquito da dengue aos moradores. As atividades terão início as 8 horas da manhã e seguirão até as 14 hs. 

“O intuito é unir forças e fazer uma orientação de casa em casa, mobilizando toda a prefeitura, não só os agentes de endemias e a Saúde, mas todos os servidores. Queremos também envolver nesse processo as Forças Armadas, a sociedade civil, clubes de serviços e entidades assistenciais, para que possamos fazer uma grande ação de conscientização”, explicou o prefeito Chico Brasileiro. 

Abordagem 
Conforme explicou o chefe do Centro de Controle de Zoonoses, os servidores de outras pastas atuarão de maneira educativa, com a entrega de panfletos e divulgação de informações sobre o controle da dengue. “Com o funcionalismo público e apoiadores, pretendemos fazer um amplo trabalho na cidade de informação, conscientizando a população de que se não tomarmos a atitude correta, teremos uma situação sem precedentes”, alertou. “Estamos tentando evitar uma epidemia, mas o Poder Público sozinho não consegue. Nós precisamos nos mobilizar de verdade e precisamos que as ações sejam propagadas e mantidas na sequência, porque o clima que temos hoje, com temperatura alta e chuva constante predispõe a formação de criadouros e o desenvolvimento do mosquito”, lembrou. 

Assistência
Durante a reunião, o vice-prefeito Nilton Bobato também detalhou as ações executadas pela Secretaria de Saúde no combate a dengue e enfatizou a importância de o(a) morador (a) procurar a unidade básica de saúde no primeiro sintoma da doença.  “O cidadão e a cidadã que estiver com suspeita de dengue deve primeiro procurar uma unidade de saúde, sem precisar marcar consulta. Ele será atendido pela equipe da UBS, e esses profissionais é que irão avaliar se o caso deve ser encaminhado para a Upa ou Hospital Municipal”, explicou Bobato. 

Além da capacitação de toda a rede de Atenção Básica, Urgência e Emergência, a Secretaria de Saúde está implantando um laboratório na UPA João Samek para agilizar exames e instalando novos leitos no Hospital Municipal para atender casos graves.  Até hoje (11) foram contabilizados 5.575 notificações e 752 casos confirmados da doença em Foz. 

Três Lagoas 
O primeiro mutirão do ano aconteceu em janeiro na Vila Portes, Vila Brasília e Jardim América, onde o LIRAa (Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti) apontou o maior número de criadouros e casos notificados para dengue. No dia 1º de fevereiro a mobilização aconteceu no Jardim Curitibano, KLP e Ipê, segunda região mais crítica do município, e agora a região de Três Lagoas foi escolhida por ser a terceira área com maior incidência do mosquito. 

Dentro de casa
O LIRAa aponta que 63% dos criadouros pertencem aos grupos B e D2, ou seja, são objetos de fácil remoção (garrafas, vidros, latas, embalagens plásticas) dispostos de forma irregular pela população dentro das próprias casas, o que possibilita o acúmulo de água, e aumentando a proliferação do mosquito. 

Ações
Além das ações estratégicas de alcance imediato, programas como a Coleta Seletiva e projetos educacionais para prevenção da dengue figuram entre os importantes investimentos do governo municipal. Desde janeiro, a prefeitura também está promovendo uma série de mobilizações de limpeza e fiscalização nas regiões mais atingidas com focos da dengue.